A International Women’s Media Foundation (IWMF) desenvolveu um guia para ajudar jornalistas a lidarem com os efeitos do abuso online sobre a saúde mental. 

O guia não é direcionado apenas a mulheres, mas a todos que sofrem assédio digital relacionado ao seu trabalho. No entanto, as mulheres são as mais afetadas, como demonstram pesquisas de entidades como a Federação Internacional de Jornalistas.

“A violência on-line é muitas vezes considerada apenas uma questão de segurança digital, mas o impacto do abuso on-line na saúde mental dos jornalistas é significativo e tem sérias consequências para eles, seu trabalho e para a liberdade de imprensa”, diz a IWMF.

A organização ressalta que cultura de silêncio em torno da violência on-line e da saúde mental tornou difícil para os jornalistas obterem ajuda prático. 

O guia tem como objetivo ajudar os jornalistas a entenderem as razões psicológicas pelas quais os abusadores atacam on-line e como tomar medidas para proteger melhor sua saúde mental. 

Há um gráfico de autoavaliação da saúde mental para que os jornalistas possam avaliar como a violência on-line está afetando seu bem-estar e exercícios para ajudar a gerenciar o custo de saúde mental do abuso on-line. 

O guia pode ser visto aqui.

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.